Mr-logo
Esta versão do De Olho está disponível apenas para a cidade do Rio de Janeiro. Em breve disponibilizaremos para toda a Rede Minhas Cidades.

Redução da carga horária de assistentes sociais não analisa impacto no orçamento

11 de Outubro de 2013, 13:06
Asssitentes_sociais

Os vereadores aprovaram ontem, em segunda discussão, projeto de lei do Poder Executivo que reduz a carga horária dos assistentes sociais de 40 para 30 horas, sem a redução de salário. A votação foi acompanhada por profissionais de área, que ocuparam as galerias da Câmara em apoio ao projeto que, agora, segue para a sanção do prefeito.

Em sua justificativa, o prefeito diz que a redução é necessária pois os assistentes lidam com situações delicadas, como população de rua e usuários de crack. Para suprir a falta de profissionais, o projeto prevê remanejamentos internos e a realização de concursos públicos. Entretanto, não há previsão de quando um concurso seria realizado, nem qual o impacto previsto no orçamento municipal. Em breve conversa com o #DeOlho, o líder do governo, Luiz Antônio Guaraná (PMDB), disse que não sabia quantos novos assistentes sociais teriam de ser contratados.

Vereadores batem boca durante sessão

O clima esquentou pouco antes da votação de um projeto do vereador Brizola Neto (PDT), que inclui no calendário oficial da cidade o dia “Rio Parada Funk”. Para não votá-lo, vereadores começaram a deixar o plenário e o líder do governo, Luiz Antônio Guaraná, solicitou votação nominal. O pedetista se irritou e fez um discurso inflamado no Plenário. “Os vereadores só votam o que o prefeito quer. A Câmara está de quatro!”. Guaraná pediu a palavra e ironizou: “representamos o pensamento da maioria da população. A oposição aqui é tão pequena que não tem força nem para criar uma CPI sozinha ou conseguir apoio para uma emenda”.

Reimont (PT) aproveitou o momento para pedir que o prefeito retomasse o diálogo com os professores, mesmo com o novo Plano de Cargos aprovado na semana passada. “Não é feio mudar de ideia”, disse.

Um grupo de veradores acompanhava o bate-boca na Sala Inglesa, anexa ao Plenário. Um deles era o vereador Jimmy Pereira (PRTB), que voltou ao Plenário e interveio, dizendo que o fórum para se discutir assuntos fora da Ordem do Dia não era aquele. “Estou há quase um ano aqui e não consigo aprovar projetos por conta de situações como essa”, reclamou. A situação se acalmou, mas a votação não prosseguiu por falta de quórum e a sessão foi encerrada.

Tags:

O que você achou? Comente!

Wiki-widget-header
O que é...Tribuna

Espaço de onde geralmente os vereadores fazem seus discursos.